PROSPERIDADE É UM ESTADO INTERNO



Etimologicamente, a prosperidade tem origem latina - prosperare - obter o que se deseja. Esse termo latino é formado pela junção dos elementos pro (a favor) + spes (esperança).


Alguns significados são: progredir, enriquecer, melhorar de condição, ausência de necessidade, bons resultados, abundância.


Há muitos itens que o homem almeja ao longo de vida:

  • poder;

  • fama;

  • beleza física;

  • descendentes;

  • entretenimentos;

  • conforto;

  • sucesso profissional;

  • sucesso financeiro;

  • status social;

  • aperfeiçoamento intelectual e cultural;

E alcançar um ou mais desses elementos poderia se configurar numa vida próspera. Era de se esperar uma enorme satisfação, se houvesse êxito em algumas dessas áreas. No entanto, não é o que se tem observado. Apesar de haver progressos em todos os campos da atuação humana, há, também, insatisfação em todos eles.


O homem busca incessantemente preencher o vazio da sua vida com elementos que não preenchem.

O ser humano vive o dia a dia, correndo atrás de uma felicidade futura e repetindo padrões de comportamentos que o levarão a lutar por “prosperidade” em diversos setores, que a sociedade elencou como sucesso.


Se a prosperidade fosse um elemento a se adquirir, então, atingir o alvo produziria felicidade, paz e alegria. Ela é um estado do homem e habita o interior dele, portanto, são conteúdos internos, Assim, se buscar algo em lugar errado, não terá êxito na empreitada.

Não se pode acreditar que o mundo exterior vai oferecer todas as referências para significar a existência, a identidade se forma nesse lugar de transição entre o fora e o dentro, mas é na profundidade que se ressignifica o ser humano.


“O homem está colocado entre duas forças ou necessidades - a vida e o espírito. E é o espírito que confere um sentido - significado à vida humana, criando a possibilidade de se desenvolver ao máximo." (Jung).


E para cada ser humano, a prosperidade pode se configurar em diferentes circunstâncias, no entanto, é necessário reconhecer internamente esses conteúdos. Somente é feliz aquele que se enxerga dessa forma. Numa pesquisa sobre felicidade, observou-se uma atitude recorrente entre os entrevistados: os que se diziam mais felizes, não eram os mais ricos, os mais famosos e, sim, eram os que demonstravam gratidão por todas as coisas que possuíam.


“Nos Estados Unidos, desde a Segunda Guerra Mundial, todos os indicadores econômicos e sociais melhoraram sem parar. A renda triplicou, o tamanho das casas dobrou e o acesso aos bens materiais cresceu, ainda assim, o índice nacional de felicidade não cresceu um milímetro sequer. Houve uma sensação de desapontamento, pois percebeu-se que existe um limite para a satisfação que a sociedade e os bens materiais trazem.” (Super Interessante)


Portanto, a matemática pode oferecer uma grande lição, ela tem um princípio: não se pode somar elementos diferentes.

Na vida, também, há princípios: não se pode misturar os conteúdos internos com os externos.


Há doenças que se tratam com medicamentos e há outras que se tratam com paz!


19 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
whatsapp